Realizar busca
- 17/10/2019 - 07:00
‘Prévia’ do PIB mostra economia estagnada em agosto

O nível de atividade da economia brasileira registrou alta em agosto, indicou nesta segunda-feira, 14, o Banco Central (BC). O chamado Índice de Atividade Econômica do BC (IBC-Br), considerado uma “prévia” do PIB, apresentou um crescimento de 0,07% em agosto, na comparação com o mês anterior.

A leve alta do IBC-Br ficou dentro do intervalo projetado pelos analistas do mercado financeiro consultados pelo Broadcast Projeções, que esperavam resultado entre -0,20% e +0,50% (mediana em +0,20%).

O resultado foi calculado após ajuste sazonal (uma espécie de “compensação” para comparar períodos diferentes). O índice de atividade calculado pelo BC passou de 138,26 pontos para 138,36 pontos na série dessazonalizada de julho para agosto. Este é o maior patamar para o IBC-Br com ajuste desde janeiro deste ano (138,70 pontos).

Os números de agosto vieram após um mês de queda. Em julho, o indicador apresentou retração de 0,07% (dado revisado). Em oito meses deste ano, foram registradas apenas três altas na prévia do PIB.

Na comparação entre os meses de agosto de 2019 e agosto de 2018, houve baixa de 0,73% na série sem ajustes sazonais. Esta série encerrou com o IBC-Br em 142,10 pontos em agosto. Este é o pior resultado para meses de agosto desde 2017 (140,06 pontos).

O indicador de agosto de 2019 ante o mesmo mês de 2018 mostrou desempenho abaixo do apontado pela mediana (-0,60%) das previsões de analistas do mercado financeiro ouvidos pelo Broadcast Projeções (-1,20% a +1,30% de intervalo).

Na parcial do ano, foi registrada uma alta de 0,66% e, em 12 meses até agosto, um crescimento de 0,87%. Esses valores foram calculados sem ajuste sazonal, pois consideram períodos iguais.

Conhecido como uma espécie de “prévia do BC para o PIB”, o IBC-Br serve mais precisamente como parâmetro para avaliar o ritmo da economia brasileira ao longo dos meses. A projeção atual do BC para a atividade doméstica em 2019 é de avanço de 0,9%.

Mercado

A expectativa de crescimento da economia em 2019 seguiu em 0,87%, conforme o Relatório de Mercado Focus, divulgado também hoje pelo Banco Central. Há quatro semanas, a estimativa de alta era a mesma.

Para 2020, o mercado financeiro manteve a previsão de alta do Produto Interno Bruto (PIB), em 2,00%. Quatro semanas atrás, estava no mesmo patamar.

No fim de agosto, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que o PIB do segundo trimestre de 2019 subiu 0,4% em relação ao primeiro trimestre.

Em setembro, o BC atualizou, por meio do Relatório Trimestral de Inflação (RTI), sua projeção para o PIB em 2019, de alta de 0,8% para elevação de 0,9%.

No Focus de hoje, a projeção para a produção industrial de 2019 seguiu com baixa de 0,65%. Há um mês, estava em baixa de 0,47%. No caso de 2020, a estimativa de crescimento da produção industrial seguiu em 2,29%, ante 2,48% de quatro semanas antes.

A pesquisa Focus mostrou ainda que a projeção para o indicador que mede a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB para 2019 foi de 56,10% para 56,05%. Há um mês, estava em 56,10%. Para 2020, a expectativa passou de 58,30% para 58,40%, ante 58,30% de um mês atrás.

Fonte: Estadão

Clima

 

Cotação


Cotações de Moedas fornecidas por Investing.com Brasil.
​​