Realizar busca
- 26/05/2017 - 17:18
Parente: Crise não pode atrapalhar plano estratégico da Petrobras

O presidente da Petrobras, Pedro Parente, afirmou nesta quinta-feira (25) que a gestão da companhia segue trabalhando para cumprir o plano estratégico, apesar da atual crise política do país.

“Vamos continuar trabalhando para cumprir nosso planejamento estratégico […] Vejo que questões na área política tem impactos políticos e vamos seguir trabalhando”, afirmou o executivo. As declarações foram dadas durante entrevista coletiva sobre manifestação formal da Petrobras em relação ao direito de preferência para a segunda e terceira rodadas de licitações de blocos exploratórios, sob regime de partilha de produção.

Parente acrescentou que o calendário de leilões de petróleo para os próximos anos tem que ser cumprido pelo governo.

“Esses leilões têm um calendário e temos que cumprir esse calendário”, disse. “Não podemos ficar presos a questões de curto prazo”, afirmou.

Desinvestimentos

O presidente da Petrobras reafirmou que a meta de desinvestimentos da empresa para 2017-2018 está mantida em US$ 21 bilhões.

“Com relação ao programa de desinvestimentos, está mantida a meta”, disse o executivo.

O presidente acrescentou que a companhia já fez dois anúncios de propostas de venda de ativos e está “evoluindo para anúncios seguidos, de maneira a cumprir a nossa meta de US$ 21 bilhões até o fim do ano”.

Pré-sal

Segundo Parente, os investimentos necessários na área de desenvolvimento da produção das futuras áreas do pré-sal, para as quais a companhia exerceu o direito de preferência, serão discutidos na revisão do plano de negócios.

O executivo disse ainda que a empresa “possivelmente” poderá participar de outras áreas para as quais não exerceu preferência.

A diretora de exploração de produção da empresa, Solange Guedes, afirmou que a companhia fez repriorizações e postergações de atividades fora do pré-sal para comportar os investimentos nas áreas do pré-sal para as quais manifestou o interesse de exercício de preferência. Segundo ela, essas áreas que tiveram as atividades postergadas estão localizadas na costa da Bahia.

Tartaruga Verde

Solange Guedes disse que a companhia pretende manter a operação do campo de Tartaruga Verde, localizada na Bacia de Campos. A estatal preferiu não exercer o direito de preferência pela operação da área unitizável da União, adjacente ao campo.

“Não estamos mudando a estratégia de Tartaruga Verde. Pretendemos continuar como operadora do campo”, disse ela, ao ser questionada se a não opção pelo direito de preferência pela área unitizável de Tartaruga sinaliza que a companhia pretende vender a operação do ativo.

A Petrobras chegou a anunciar, no ano passado, a venda de 50% do campo para a Karoon , numa negociação que não envolvia a venda do controle. O desinvestimento do campo foi posteriormente interrompido, para reavaliação da sistemática da venda.

Fonte: https://www.portosenavios.com.br/noticias/geral/38916-parente-crise-nao-pode-atrapalhar-plano-estrategico-da-petrobras

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Clima

 

Cotação


Cotações de Moedas fornecidas por Investing.com Brasil.
​​