Realizar busca
- 29/03/2019 - 08:22
IEO, uma alternativa para financiar o seu novo negócio

Certamente você já ouviu falar de ICOs, as famosas ofertas iniciais de moeda. Trata-se de uma maneira de se arrecadar fundos para tirar do papel um novo negócio. Pode ser uma criptomoeda, um token utilitário, um produto criptográfico, entre outros.

Por meio das ICOs, desenvolvedores encontram investidores que vão depositar capital para financiar a criação de seus projetos. Em 2017, mais de 700 projetos concluíram suas ICOs, sendo que 69 atingiram a quantidade mínima para sua execução e 48 levantaram o valor máximo. Já em 2018, mais de 2 mil ICOs foram finalizadas, com 138 alcançando a capitalização máxima, e 438 conseguindo alcançar a mínima.

Geralmente o valor para a concretização desses projetos é um pouco alto, e muitos tokens com propósitos bacanas podem ficar apenas nos planos, sem ganharem vida. Porém, existe uma maneira de colocá-los no mercado. Basta os idealizadores realizarem uma IEO.

E o que é uma IEO?

Significa Initial Exchange Offering. Também trata-se de uma oferta inicial de moeda, mas tem um importante diferencial em relação às ICOs: a participação de uma exchange. Breno Sperandio, Gerente de Desenvolvimento de Negócios da CoinBene, compara os IEOs ao lançamento de um novo produto com suas vendas feitas exclusivamente no mesmo local.

“É como se uma montadora apresentasse um novo carro, só que o modelo será comercializado apenas no site oficial de uma concessionária, e clientes do mundo inteiro poderão adquirir esse veículo com condições exclusivas”.

O executivo destaca que um dos pontos mais interessantes dos IEOs é a segurança que passa aos investidores, já que para sua realização, o projeto precisa atender a critérios de segurança previamente estipulados pelas corretoras, que são idênticos aos de listagem.

Além disso, os termos e condições, limites de contribuição e moedas aceitas para o financiamento do projeto são determinados antecipadamente em parceria entre a exchange e os organizadores do IEO. Após a realização da oferta inicial, qualquer investidor que quiser apoiar o projeto poderá comprar os tokens na exchange.

Outro ponto positivo que merece ser mencionado é que após a conclusão do IEO, o projeto já está capacitado para listagem na exchange em que ele é realizado.

Mais vantagens das IEOs

O executivo da CoinBene lembra que quando ocorre uma ICO, a responsabilidade sobre esses smart contracts é totalmente dos desenvolvedores do projeto, sendo altamente indicado a contratação de uma auditoria de código terceirizada.

Já no caso das IEOs, a estrutura já existente das exchanges garante maior segurança ao processo, o que ajuda a reduzir custos.

Quando realizar um IEO?

Além de ser uma ação mais barata do que um ICO, ele pode ser complementar a uma Oferta Inicial de Moeda que não conseguiu alcançar a capitalização mínima para sair do papel.

Além disso, negócios que não possuem recursos financeiros para realizarem as suas ICOs podem recorrer a essa alternativa, já que os custos podem ser menores e os resultados são mais fáceis de serem alcançados porquê as exchanges já possuem suas próprias comunidades.

Breno ressalta que o contexto regulatório das IEOs pode variar de acordo com o país de registro do projeto, da exchange e/ou do investidor. “O projeto deve analisar em qual país deve se registrar dependendo da quantidade de fundos que ele pretende levantar. Atualmente no Brasil, é possível levantar até R$ 5 milhões com o enquadramento na Lei de Crowdfunding”.

 

Fonte: StartSE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Clima

 

Cotação


Cotações de Moedas fornecidas por Investing.com Brasil.
​​