Realizar busca
- 22/10/2018 - 09:34
GetNinjas começa expansão internacional

Se um dia você quis contratar serviços temporários de profissionais fora do país, saiba que em breve você poderá usar o GetNinjas – ao menos no México. A startup brasileira está se internacionalizando ao mesmo tempo em que completa sete anos de existência. A empresa prevê o início de suas operações já entre a primeira e segunda semana de novembro.

O CEO do GetNinjas, Eduardo L’Hotellier, contou, em entrevista para a StartSe, os três motivos que atraíram a startup para o país. “O México tem uma economia muito parecida com a brasileira, é emergente. Ele fica no meio do caminho, no qual você precisa subcontratar profissionais para o seu lar – para uma reforma, diarista, churrasqueiro, entre outros -, porém precisa pesquisar para caber no orçamento”, explicou.

Outra semelhança encontrada no mercado mexicano é de que muitos profissionais aprenderam o ofício com os pais – como reformas, por exemplo – e não possuem uma formalização profissional. O GetNinjas atua nesse setor não apenas para ajudá-los a encontrar clientes, mas para que os próprios sejam avaliados na plataforma, facilitando negócios e estabelecendo uma rede de confiança.

Já o terceiro motivo foi a população concentrada, que também se mostrou um fator favorável ao país. “Quanto maior a cidade, mais fácil é de equilibrar o número de profissionais e clientes e melhor fica a plataforma. O México tem uma população ainda mais concentrada do que a brasileira, principalmente no entorno da ‘Grande Cidade do México’”, disse L’Hotellier. Para ele, “Grande Cidade do México” é a cidade e seus entornos – semelhante ao que acontece no Brasil, em São Paulo.

Na internacionalização, o GetNinjas não irá, fisicamente, estar na Cidade do México. Como sua solução é completamente digital, a startup irá gerir, ao menos no início, suas operações no país a partir da sede na capital paulista, com a contratação de colaboradores bilíngues focados no novo mercado. Hoje, o GetNinjas já opera em mais de 3 mil cidades no Brasil, mas possui apenas um escritório.

A operação no México

O GetNinjas irá inaugurar sua operação no México em breve porque está na finalização desse processo – a startup já possui uma empresa e marca registrada no país, por exemplo. “Estamos na parte dos finalmentes – a tradução da plataforma, integração com o meio de pagamento local, etc”, disse Eduardo.

Na primeira semana, a startup oferecerá apenas a categoria de “reformas” entre as disponíveis, pois é o setor em que mais possui candidatos nos 500 mil cadastrados no Brasil. Esse será o pontapé inicial para o GetNinjas entender a necessidade dos novos clientes e até como eles descrevem os serviços.

“Vamos primeiro aprender quantos profissionais precisamos para criar uma massa crítica, quanto tempo o Google demora para indexar e começarmos a ter um tráfico orgânico. São coisas que a gente sabe como foi no Brasil, mas na expansão será completamente diferente porque a história no Brasil foi com o Google e tecnologia de 7 anos atrás. Agora, vamos começar do zero”, explicou o CEO da startup.

A startup prevê a abertura para todas as 200 categorias disponíveis a partir do segundo mês de operação no país. “A hipótese aqui é que, com a tecnologia que nós temos, vamos demorar menos de 7 anos para fazer isso no México. Vamos começar um pouco menor para aprender com esse playbook – não é que as outras categorias não têm volume, vamos concentrar as análises e fazer pesquisa de mercado, agora na prática”. O GetNinjas estava explorando a ideia de entrar no mercado mexicano desde o ano passado e decidiu realizá-la agora para ganhar tração no local enquanto a concorrência ainda é mínima.

“Existem pontos positivos e negativos de estar expandindo. Nós achamos que esse é o momento para expandir, mas uma crítica presente é porque não focar mais no Brasil. Um apoio óbvio para isso é que, se um dia irá expandir, é melhor começar cedo que você gastará menos – boa parte desse negócio é no boca a boca, orgânico, no SEO”, justificou Eduardo. “Com a receita, nós podemos investir no Brasil com receitas de outras fontes”.

O GetNinjas recebeu conselhos dos investidores e da startup brasileira DogHero, presente na Argentina e no México. A startup – que viabiliza hospedagem para pets – possui dois fundos de investimentos em comum com o GetNinjas: o Monashees e Kaszek Ventures. Além desses, o GetNinjas também recebeu aporte do Tiger Global e totaliza R$ 47 milhões em capital recebido.

Uma nova forma de pagamentos

Apesar das semelhanças que possam existir entre o país natal de uma startup e um novo mercado, as diferenças culturais podem impactar de forma significativa em um negócio. Isso está acontecendo com o GetNinjas – no México, a startup implementará uma nova forma de pagamento, através do OXXO.

OXXO é uma cadeia de lojas de conveniência na América Latina que ainda não está presente no Brasil. A rede possui mais de 9 mil lojas no México e aceita o pagamento de recibos de serviços domésticos – o que seriam equivalentes aos boletos bancários no Brasil. “Os e-commerces dão um código para o usuário, ele vai na Oxxo e paga com dinheiro. A diferença é que o Oxxo tem, literalmente, em cada esquina – e a fila de uma Oxxo é menor do que em um banco. As lojas não funcionam até quatro horas da tarde, algumas são 24h. Fisicamente, não há um lugar mais fácil de pagar uma conta do que no México”, explicou Eduardo L’Hotellier.

O CEO do GetNinjas contou que pôde experimentar o meio de pagamento pessoalmente, ao comprar um livro. Ele descreveu a compra como “super simples”.“É muito interessante a estratégia da Oxxo, porque eles ganham não apenas com o pagamento – que tem um custo parecido com o boleto -, mas também com o fluxo da loja. A pessoa vai para pagar um boleto e compra um chocolate”, comentou.

Conhecendo o novo mercado

O GetNinjas está realizando testes presenciais e online para conhecer seus novos profissionais e clientes. Em um encontro realizado em um final de semana no México, a startup pôde entender as possíveis diferenças além do meio de pagamento. “Nós percebemos que as respostas que tínhamos no México eram muito parecidas com as que temos no Brasil. Os profissionais tinham uma agenda muito livre, faziam um trabalho hoje e não sabiam qual era o próximo. A facilidade que eles tiveram na plataforma também foi parecida com a que temos”, afirmou L’Hotellier.

Já nos testes digitais, um dos métodos utilizados pela startup é o teste A/B – uma técnica de design para avaliar quais experiências visuais têm melhor resultado. Essa é uma iniciativa utilizada pelo GetNinjas no México e no Brasil e são comuns em quaisquer desenvolvimentos para a internet.

Concorrência com a Uber?

Recentemente, o Financial Times reportou que a Uber estaria desenvolvendo uma plataforma para contratação de profissionais temporários – o que poderia competir diretamente com o GetNinjas. “A diferença da Uber é que ela controla todo o preço. Para nós, quem dá o preço é o profissional – nós sugerimos três orçamentos e os profissionais competem entre si, e eles têm ROI positivo”, justificou o CEO.

Para Eduardo L’Hotellier, o fato de que os profissionais podem sugerir o preço que desejarem para os serviços é um diferencial para que ele seja fiel à plataforma. “O número 1 do que o profissional quer é dinheiro no bolso, e nosso algoritmo garante que ele ganhe dinheiro. Se ele ganha dinheiro, ele fica na plataforma e deseja ter uma boa avaliação, para fazer mais negócios. Assim, ele faz mais caprichado do que faria por fora. Parafraseando Richard Branson (do grupo Virgin), só há cliente feliz quando tem funcionário feliz”, disse.

 

Fonte: StartSe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Clima

 

Cotação


Cotações de Moedas fornecidas por Investing.com Brasil.
​​