Realizar busca
- 30/08/2019 - 07:00
Economistas estão mais otimistas com economia brasileira

O nível de pessimismo com a economia brasileira registrou queda, segundo uma pesquisa realizada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Ceará (Fecomércio) em parceria com o Conselho Regional de Economia (Corecon-CE). Das nove variáveis analisadas pelo Índice de Expectativas dos Especialistas em Economia (IEE), seis revelam otimismo e três pessimismo. Na edição anterior, sete revelavam pessimismo. “Em resumo, o estudo aponta que, na visão dos especialistas consultados, o cenário para um horizonte de um ano é melhor do que o cenário presente”, diz o economista Ricardo Eleutério, vice-presidente do Corecon-CE.

As variáveis analisadas recebem pontuação de zero a 200. Abaixo de 100 apontam para pessimismo e acima desse valor, otimismo. Nesta 32ª edição do IEE, tiveram avaliação otimista os ítens: taxa de juros (116,9 pontos), taxa de inflação (111,3 pontos), gastos públicos (109,9 pontos), evolução do PIB (107,7 pontos), oferta de crédito (104,9 pontos) e taxa de câmbio (102,8 pontos). E receberam avaliação negativa os itens: cenário internacional (99,3 pontos), nível de emprego (95,8 pontos) e salários reais (53,5 pontos), que atingiu a menor pontuação. A pesquisa, de periodicidade bimestral, foi realizada em julho e agosto, e colheu expectativas de 92 especialistas em economia.

“A economia brasileira continua com uma perspectiva na zona pessimista. Mas a perspectiva para o futuro mostra um suave otimismo, porque a taxa de juros que declinou e expectativa do PIB para o próximo ano é melhor do que neste ano”, diz Eleutério. “Além disso, as reformas da Previdência e outras medidas econômicas que já foram implementadas ainda vão vão produzir resultados”.

Conforme a metodologia, cada uma das variáveis analisadas gera três índices: de percepção presente, futura e de expectativa geral. Considerando a soma das variáveis, o índice geral saltou de 86,2 pontos para 100,2 pontos, uma elevação de 16,3% em relação à pesquisa anterior. Sobre o comportamento futuro das variáveis, a pesquisa apresenta também melhora nas expectativas, de 10,7%. Além disso, cabe destacar que a percepção sobre o desempenho presente revelou redução no pessimismo de 18,5%, registrando 92,3 pontos. “Os resultados da pesquisa revelam, de uma maneira geral, que ocorreu uma redução na percepção pessimista sobre a dinâmica macroeconômica do país”, diz a Fecomércio.

Fonte: Diário do Nordeste

Clima

 

Cotação


Cotações de Moedas fornecidas por Investing.com Brasil.
​​