Realizar busca
- 01/11/2017 - 16:45
Confiança empresarial sobe 2,6 pontos em outubro ante setembro, aponta FGV

Indicador alcançou 90,3 pontos, o maior nível desde julho de 2014

 

RIO DE JANEIRO – O Índice de Confiança Empresarial (ICE) avançou 2,6 pontos em outubro ante setembro, alcançando 90,3 pontos, o maior nível desde julho de 2014, informou nesta quarta-feira, 1º, a Fundação Getulio Vargas (FGV). “A recuperação da confiança empresarial ganhou consistência nos últimos meses com o avanço mais expressivo dos indicadores da situação atual, refletindo uma migração de respostas desfavoráveis para as que denotam um quadro de normalidade. Em relação ao futuro, o pessimismo começa a dar lugar a um otimismo moderado, exemplificado pelo comportamento do indicador de emprego, que registra, pela primeira vez desde novembro de 2014, mais empresas prevendo aumento que redução do total de pessoal ocupado nos meses seguintes”, afirmou Aloisio Campelo Junior, superintendente de Estatísticas Públicas do Instituto Brasileiro de Economia da FGV (Ibre/FGV), em nota oficial.

O Índice de Confiança Empresarial reúne os dados das sondagens da Indústria de Transformação, Serviços, Comércio e Construção. O cálculo leva em conta os pesos proporcionais à participação na economia dos setores investigados, com base em informações extraídas das pesquisas estruturais anuais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo a FGV, o objetivo é que ICE permita uma avaliação mais consistente sobre o ritmo da atividade econômica.

Em outubro, o Índice de Situação Atual (ISA-E) avançou mais que o Índice de Expectativas (IE-E) pelo terceiro mês seguido, reduzindo a distância entre os dois indicadores para 10,9 pontos. O ISA-E cresceu 2,6 pontos, para 86,1 pontos, o maior patamar desde dezembro de 2014. Já o IE-E subiu 1,5 ponto, para 97,0, o nível mais elevado desde março de 2014.

A confiança melhorou em todos os setores no mês de outubro. A maior contribuição para a alta do ICE foi dada pela Indústria (0,9 ponto) e pelo Setor de Serviços (0,9 ponto), seguidos pelo Comércio (0,7 ponto) e pela Construção (0,1 ponto).

O indicador de ímpeto de contratações avançou 1,8 ponto porcentual em outubro, alcançando 101,8 pontos, sinalizando haver mais empresas prevendo aumento que redução do quadro de pessoal nos próximos meses, algo que não ocorria desde novembro de 2014. A maior contribuição para a alta foi dada pelo Comércio (1,0 ponto), seguida por Serviços (0,7 ponto) e pela Construção (0,2 ponto). No mês, a Indústria contribuiu negativamente com 0,1 ponto.

Em outubro, a confiança aumentou em 63% dos 49 segmentos pesquisados. A coleta do Índice de Confiança Empresarial reuniu informações de 5.021 empresas dos quatro setores entre os dias 2 e 27 de setembro.

Fonte: http://www.dci.com.br/economia/confianca-empresarial-sobe-2,6-pontos-em-outubro-ante-setembro-id661410.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Clima

 

Cotação


Cotações de Moedas fornecidas por Investing.com Brasil.
​​