Realizar busca
- 06/09/2018 - 08:53
Como o WeChat se tornou o aplicativo do dia-a-dia dos chineses

O WeChat, ou Weixin, como é conhecido na China, começou sua trajetória pelo domínio total da vida dos chineses lá em 2010, no centro de Pesquisa e Desenvolvimento da Tencent Guangzhou. São mais de 1 bilhão de usuários ativos mensais, que conversam, jogam, compram, leem notícias, pagam por refeições e publicam seus pensamentos e fotos. Hoje, você pode até reservar uma consulta médica ou marcar um horário para pedir o divórcio na autoridade de assuntos civis.

O aplicativo também lançou as bases para o crescimento estelar da Tencent, transformando-a em uma das empresas mais influentes da China e chamando a atenção dos mais diversos investidores globais. Desde o lançamento oficial do WeChat, a capitalização de mercado da Tencent aumentou mais de dez vezes.

No entanto, a gigante de tecnologia ainda está nos estágios iniciais de monetizar sua base de usuários. Apenas 18% de sua receita total no ano fiscal de 2016 veio de publicidade online. Compare isso com o modelo do Facebook: a publicidade representa 98% de sua receita total. Então, por que a Tencent ainda não aproveitou ao máximo seu potencial nessa área?

Cautelosa, para evitar inundar as linhas de tempo dos usuários com anúncios, a empresa sempre exerceu um controle cuidadoso sobre o número de anúncios nos feeds das pessoas, para garantir que elas não tivessem um efeito adverso na experiência do usuário. Por exemplo, o WeChat limitou o número de anúncios nativos exibidos no feed do WeChat Moments a um por dia. É altamente consciente do desafio de equilibrar seus esforços de monetização com a tolerância de sua base de usuários para anúncios, que é “extremamente conservadora se comparada aos homônimos globais”, disse James Gordon Mitchell, diretor da Tencent.

Até agora, a estratégia de monetização da Tencent tem sido contra intuitiva para o modo tradicional de fazer negócios: onde as empresas, primeiro, criam um produto ou serviço e depois buscam clientes. Em contraste, a Tencent começou com uma plataforma de distribuição e construiu seu alcance antes de passar a monetizar suas diversas aplicações.

A Tencent agora trabalha para entender melhor seus usuários. Devidamente segmentados, a empresa conseguirá aumentar a probabilidade de as pessoas clicarem em seus anúncios. Assim, a publicidade direcionada, usando dados de comportamento, pode se tornar o motor da Tencent para o crescimento nos próximos anos. Fato é que a companhia está apenas começando a explorar a superfície da sua mina de ouro.

“Com o aprimoramento da capacidade de segmentação, a abertura de inventário e a implantação de formatos de anúncios, esperamos aumentar a mudança para a publicidade baseada em desempenho social, da qual a Tencent deve ser a principal beneficiária”, escreveu Karen Chan, analista da Jefferies em julho.

Outros analistas também estão otimistas sobre as perspectivas do WeChat. “Os números de usuários do WeChat ainda não atingiram o teto, mas acho que eles vão em algum momento”, disse Matthew Brennan, diretor da consultoria independente WeChat China Channel. “Mas eles ainda têm muito espaço para crescer em publicidade e agora com miniprogramas”.

Esses miniprogramas são aplicativos normalmente menores que 10 megabytes, que podem ser executados instantaneamente na interface principal do WeChat. Eles oferecem velocidade de acesso aos usuários, porque um miniprograma não precisa ser baixado em uma loja de aplicativos, o que permite que as plataformas hospedem vários serviços, transformando-os em super aplicativos e oferecendo maior conveniência aos consumidores no maior mercado de smartphones do mundo.

Essa estratégia visa manter os usuários dentro do ecossistema do WeChat, em um momento em que os aplicativos de vídeo curtos estão em ascensão. Em junho, a porcentagem de tempo gasto em aplicativos de mensagens entre usuários móveis diminuiu de 36 para 30,2%, em comparação com o mesmo período do ano passado – enquanto o tempo gasto em aplicativos de vídeo curtos subiu de 2 para 8,8%, segundo dados de julho da QuestMobile.

No entanto, os miniprogramas são apenas os mais recentes de uma longa linha de inovações que estão acontecendo no WeChat.

Quando o principal serviço de mensagens da Tencent, o QQ, era o player dominante na China, o fundador e CEO, Ma Huateng (conhecido como Pony Ma), não descansou sobre seus louros. Ele detectou a inevitável mudança no tráfego de PCs para a Internet móvel em 2010, quando os smartphones liderados pelo iPhone da Apple ganharam popularidade. Ma sabia que um mensageiro instantâneo móvel seria a chave para o futuro.

Allen Zhang, chefe do QQ Mail Mobile em 2010, liderou uma equipe com menos de 10 membros para desenvolver a primeira versão do WeChat em menos de 70 dias, superando duas outras equipes internas que trabalhavam no mesmo projeto. Zhang ingressou na Tencent em 2005, quando seu negócio Foxmail foi comprado pela Tencent e se tornou o chefe da QQ Mail Mobile.

“O WeChat é uma plataforma estrategicamente importante para a Tencent porque ajudará a sustentar e desenvolver nossa liderança do PC para novos dispositivos móveis”, disse Martin Lau, o então presidente da Tencent, em uma teleconferência em 2011.

A primeira versão do WeChat permitia que os usuários enviassem mensagens de texto e fotos. O lançamento recebeu pouca resposta do mercado, no momento em que mensageiros instantâneos como o Feixin, um aplicativo de SMS da China Mobile, e o MiTalk Messenger da Xiaomi, já estavam em cena.

“Não é possível enviar uma mensagem curta para o número de telefone de alguém (como Feixin). Não possui a funcionalidade do QQ. Qual é o significado de ter este aplicativo?”, escreveu um usuário na seção de comentários na página da loja de aplicativos iOS do WeChat sete anos atrás, classificando-o com uma estrela.

O ponto de inflexão da equipe do WeChat chegou em maio de 2011, quando foi atualizado com mensagens de voz, permitindo que o telefone de um usuário funcionasse como um walkie-talkie. O crescimento diário de usuários subiu de 10 mil para 60 mil.

“A função de mensagem de voz transformou a vida daqueles que não estavam acostumados a digitar em smartphones”, lembrou Ma em um discurso na Univesidade de Tsinghua em 2016. O WeChat evoluiu rapidamente, incluindo novas funções, como “Shake”, que conectava usuários que agitavam o telefone aleatoriamente ao mesmo tempo e “Message in a Bottle”, o que permitia que as mensagens fossem enviadas a usuários aleatórios.

Em julho de 2011, adicionou o serviço “People Nearby”, baseado em localização e que permitia aos usuários se conectarem com pessoas próximas a eles. Nas palavras de Zhang, isso foi um “fator de mudança” e empurrou o crescimento diário de usuários para 100 mil.

“Shake, Message in a Bottle e People Nearby nasceram na hora certa, oferecendo acesso a pessoas diferentes”, disse Lu Shushen, ex-funcionário do WeChat. Em março de 2012, o WeChat ultrapassou 100 milhões de usuários registrados – apenas 433 dias após o lançamento.

Os usuários do WeChat cresceram em conjunto com o crescimento dos smartphones na China. Em 2010, quando o WeChat ainda era um projeto de pesquisa, havia apenas 36,1 milhões de vendas de unidades de smartphones na China. Esse número aumentou para 90,6 milhões em 2011, quando o WeChat foi oficialmente lançado, e disparou para 214,2 milhões em 2012.

Mas o WeChat estava crescendo ainda mais rápido do que isso e gradualmente deixava seus concorrentes para trás. A Feixin, por exemplo, relutou em abrir seu serviço de mensagens para usuários que não são da China Mobile e o MiTalk se esforçou para fornecer uma experiência de usuário estável.

O WeChat também estava evoluindo para uma rede social híbrida, com a introdução de seu serviço de compartilhamento Moments, as Contas Oficiais, semelhantes aos blogs, para ajudar marcas e produtores de conteúdo a se promoverem, além de uma plataforma de jogos.

Em 2020, espera-se que essa indústria de jogos para dispositivos móveis seja maior do que todas as outras plataformas tradicionais, como console e PC – e a Tencent se posicionou na vanguarda dessa corrida. A companhia trabalhou meticulosamente para garantir sua posição como o maior desenvolvedor e operador desse mercado. Lançou centros de jogos no Mobile QQ e no WeChat, dando a eles uma grande base de usuários. Depois, nos últimos anos, concentrou-se no mercado global de games, comprando participações ou fazendo grandes aquisições de empresas no exterior. Tornou-se a maior empresa de jogos online do mundo, controlando uma participação de mercado de 13%. Suas receitas nessa área ultrapassaram a marca de US$ 10 bilhões em seu ano fiscal de 2016.

O WeChat adicionou pagamentos à plataforma em 2013 e, durante algum tempo, limitou-se a pagar por jogos, itens virtuais e serviços, como assinaturas móveis. Mas quando as “Contas oficiais” foram adicionadas ao WeChat em 2013, a gerência da Tencent esperava que isso transformasse o WeChat em uma plataforma de serviço completo.

Qualquer usuário do WeChat pode configurar uma conta oficial para transmitir mensagens e artigos para seus seguidores como um blog, mas as marcas e os provedores de serviço também podem usar essas contas para atender os clientes. Atualmente, os usuários podem comprar produtos, fazer pedidos de refeições ou fazer uma consulta médica, entre muitas outras coisas por meio desse canal.

No entanto, enquanto o WeChat Pay teve um início relativamente lento, o jogo estava prestes a mudar de uma forma importante.

Antes do Ano Novo Lunar de 2014, o co-fundador da Tencent, Tony Zhang, designou um membro da equipe do WeChat para melhorar a forma como a Tencent entregava envelopes de hongbao (uma tradição da virada do ano, onde as pessoas enviam em um envelope vermelho dinheiro umas para as outras). Como resultado, o WeChat Red Packet foi desenvolvido como uma maneira de enviar dinheiro “virtual” para amigos.

O Pacote Vermelho do WeChat se tornou uma sensação durante o período de férias de 2014, com mais de 8 milhões de chineses recebendo mais de 40 milhões de hongbaos. Os usuários começaram a vincular suas contas bancárias à sua carteira móvel WeChat e começaram a competir com a Alipay – um serviço de pagamentos móveis já estabelecido da Alibaba.

Em 2018, 688 milhões de pessoas usaram o serviço hongbao do WeChat na véspera do Ano Novo Lunar.

O que traz a história de volta aos miniprogramas do WeChat. Ao permitir maior funcionalidade dentro do ecossistema WeChat, sem a necessidade de baixar um aplicativo externo, os miniprogramas destinavam-se a gerar fidelidade ou aderência ao cliente no aplicativo WeChat.

“Visualizamos os miniprogramas como um aprimoramento do nosso sistema de contas oficiais, projetado para conectar os provedores de serviços offline aos usuários online”, disse Lau, da Tencent, em 2017.

O conceito de miniprogramas não decolou totalmente até janeiro de 2018, quando o Tiao Yi Tiao, um minijogo de saltos, registrou 100 milhões de usuários ativos, diariamente, após seu lançamento no final de dezembro. No segundo trimestre de 2018, o número de miniprogramas do WeChat chegou a um milhão e os usuários ultrapassaram os 600 milhões em junho deste ano.

“A iniciativa dos miniprogramas está abrindo muitas portas para a Tencent”, disse Brennan, da China Channel. “Monetização devido a anúncios e pagamentos e permitindo que a Tencent incube e acelere uma variedade de negócios dentro do ecossistema – e-commerce em particular.”

A companhia, no final de 2017, ultrapassou o Facebook para se tornar a rede social mais valiosa do mundo, com uma capitalização de mercado de US$ 540 bilhões – embora esse número, agora em agosto de 2018, esteja na casa dos US$ 430 bilhões. De todas as empresas de Internet – como o próprio Facebook, a Alphabet e a Alibaba, por exemplo -, a Tencent foi a que acumulou o maior volume de dados – e a corrida por dados é a nova corrida pelo ouro.

 

Fonte: StartSe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Clima

 

Cotação


Cotações de Moedas fornecidas por Investing.com Brasil.
​​