Realizar busca
- 08/08/2018 - 09:13
Com parceria de bancos, Facebook quer usar o Messenger para serviços financeiros

O Facebook está em busca de parcerias com bancos para oferecer serviços financeiros no Messenger, de acordo com o Wall Street Journal. Segundo o veículo, a empresa buscou o JP Morgan Chase, o Wells Fargo, o Citigroup e o US Bancorp para que os usuários do Messenger visualizassem os saldos de suas contas correntes na plataforma e que fossem alertados sobre possíveis fraudes.

Para isso, os bancos precisam compartilhar informações de clientes com o Facebook, incluindo saldos de contas e dados detalhados sobre onde estão comprando com cartão de crédito ou débito. No ano passado, por exemplo, o banco americano Wells Fargo testou um bot do chat que permitia que os usuários verificassem seus saldos de contas e encontrassem o caixa eletrônico mais próximo. O Facebook também tem parcerias com outras empresas de serviços financeiros, como as operadoras de cartões de crédito Mastercard e American Express.

“Como muitas empresas online, nós falamos com as instituições financeiras sobre como podemos melhorar a experiência de compra e atendimento ao cliente”, disse Elisabeth Diana, porta-voz do Facebook ao Journal. A empresa ainda enfatizou que qualquer serviço em que os usuários possam conversar com instituições financeiras ou gerenciar suas contas pelo Facebook são aceitos, mas que a plataforma não usa essas informações para outros fins.

O Facebook enfrentou, recentemente, um período de crise quando 87 milhões de pessoas tiveram seus dados vazados e explorados pela Cambridge Analytica. Segundo o Journal, pelo menos um banco desistiu das negociações com a empresa depois do ocorrido. Ainda assim, o alcance dela – com mais de 1,3 bilhão de usuários no Messenger – pode ser atraente para as instituições financeiras.

 

Fonte: Startse

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Clima

 

Cotação


Cotações de Moedas fornecidas por Investing.com Brasil.
​​