Realizar busca
- 20/11/2018 - 12:21
Com novas conexões, Sobral quer 12 startups ativas até o fim de 2018

O cenário de ampla conexão com uma internet de qualidade, o qual Sobral vivencia nos últimos anos, tem sido terreno fértil para ideias inovadoras dentro do mercado digital. Nessa perspectiva, a Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Econômico (STDE) de Sobral, até o fim deste ano, espera ter estruturadas, pelo menos, 12 startups atuando em diversas áreas, em especial aquelas com base ligada à Tecnologia da Informação (TI), por meio da instalação de aplicativos. De olho nesse momento positivo, amparado pelo desenvolvimento Cinturão Digital do Ceará (CDC), a STDE mantém em atividade dois programas de aceleração no setor de tecnologia.

Um deles é o Inova Sobral, projeto municipal que fomenta a geração de novas startups. Atualmente, 15 dessas prestadoras de serviços são gerenciadas pelas metodologias do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e do Senai, com consultoria da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec). O Inova Sobral funciona dentro do programa Ocupa Juventude, projeto de estágio universitário, com carga horária de 20h semanais, em que jovens, regularmente matriculados, a partir do 3º semestre, são lotados nas secretarias municipais.

Aceleração

O outro programa é o Corredores Digitais, de capacitação, mentoria, networking e premiações, realizado pela Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior (Secitece) e o Sebrae, atua em parceria com a STDE de Sobral.

A iniciativa é voltada aos estudantes que sonham em transformar suas ideias, pesquisas, invenções ou negócios em fase pré-operacional, em modelos de negócios inovadores, competitivos, lucrativos e socialmente responsáveis.

“Ao todo, nove startups sobralenses estão bastante avançadas em aceleração. Nos últimos anos, a cidade de Sobral tem desenvolvido um trabalho importante nessa área de inovação, e uma internet de qualidade possibilita que as conexões sejam maiores. Isso faz com que os jovens se aproximem mais ainda do mercado no qual desejam atuar”, explica Leandro Lopes, coordenador de Capacitação e Qualificação da STDE de Sobral.

Compartilhamento

No Município da Região Norte, a inovação incentivada pelos projetos ligados à Rede, que passam pela construção civil e os setores calçadista e de cimento, por exemplo, tem como princípio o exercício da Economia Colaborativa, movimento de nova percepção de mundo que impacta a forma como vivemos e fazemos negócios.

Ainda, segundo Leandro Lopes, “hoje, você não faz sozinho o seu produto, mas com a colaboração de várias outras pessoas ligadas ao desenvolvimento do cliente, e a internet favorece esse ambiente inovador”, pontua.

“Para que haja essa junção entre startups, instituições de ensino, empresas e o Poder Público, criando esse ecossistema, é necessária a adoção de um marco regulatório, que prevê a criação de um fundo de investimento, assim como a transferência de tecnologia. Em Sobral, ela está em fase de elaboração”, disse Lopes.

Prática

Apaixonada por tecnologia, a nutricionista Larissa Freire, uniu-se a quatro sócios e criou, este ano, uma startup.

O grupo desenvolveu um software que auxilia na anotação de informações para avaliação nutricional de pacientes de UTIs Neonatal e Pediátrica. Os dados geram diagnósticos e ajudam no acompanhamento, ao longo da internação. “Sem a oferta de uma internet de qualidade, não seria possível cadastrar e manter os bancos de dados. Estamos em fase de registro da marca, e em breve o serviço estará disponível”, afirmou Freire.

Alcance

Na região Norte, além de Sobral, 24 municípios já se beneficiam da nova fase do Cinturão Digital, iniciada com a instalação de torres de telecomunicações, em fevereiro de 2018. No que se refere à prestação de serviços públicos, a internet banda larga facilita a transmissão de dados das cidades do Interior, com maior rapidez nos serviços.

Entre as vantagens econômicas está o impulso de pequenas empresas provedoras de internet no Interior, o que estimula a geração de empregos e qualificação de mão de obra em tecnologia.

No caso de Jijoca de Jericoacoara, no litoral oeste, “o Termo de Adesão sobre o fornecimento de conexão à internet de banda larga beneficia localidades onde inexistia a oferta adequada desse serviço. Além de Jericoacoara, outras 16 comunidades tiveram esse incremento”, afirma Ary Leite, procurador-Geral do Município de Jijoca de Jericoacoara. 

Fibra óptica gera oportunidades no Interior do Estado

Com crescimento exponencial no Interior desde o início da operação do Cinturão Digital, o mercado de fibra óptica já tem impactos claros e visíveis de colaboração para o desenvolvimento social e econômico dos municípios mais afastados da Capital. Ao todo, Fortaleza – que já representou 83,87% do número de conexões por fibra -, representa, atualmente, apenas 26,34% deste segmento.

Em Juazeiro do Norte, que tem 98% do seu território com cobertura por fibra óptica, atendendo a mais de 33 mil clientes, essa tecnologia teve um salto de 5175% entre julho de 2016 e setembro de 2018. A cidade passou a ter 35.133 pontos de conexão por fibra óptica, impulsionando negócios digitais na região.

Nessa perspectiva é que a empresária Anna Bárbarah enxergou a possibilidade de abrir uma loja completamente desenvolvida para a internet. Tudo começou em 2016, quando ela investiu, sem nenhuma experiência, R$ 1,5 mil. “O mercado virtual foi a minha única opção, já que eu não tinha dinheiro para investir em uma loja física e em um estoque que comportasse a demanda necessária”, contou.

Então surgiu a Anna Flor Store, que, hoje, tem mais de 47 mil seguidores nas redes sociais e envia roupas e acessórios femininos para todo Brasil. “No quarto mês de atendimento virtual, enviei o meu primeiro produto para fora do Ceará. Hoje é comum enviar peças para todo o Brasil”, garantiu a empresária.

Acessibilidade

Quixadá também evoluiu muito em se tratando de conexão digital. Hoje, o serviço é disponibilizado por várias operadoras e vem facilitando a vida de empresários na Região.

Mas a maior evolução está ocorrendo na esfera educacional, ao ponto de a cidade se tornar o Vale do Silício cearense. O mérito é da Universidade Federal do Ceará (UFC), um campus especializado em Tecnologia da Informação que foi instalado no entorno do Açude Cedro e que completa sua primeira década de atividades ampliando seus horizontes. Formados, os profissionais de TI prestam assistência inclusive a outros países.

Em Iguatu, as novas conexões por fibra óptica também estão garantindo pontos importantes de acesso à informação. Os irmãos, Marcos e Edilândia Lavor, deficientes visuais, puderam continuar morando com a família e estudar através de computadores que têm sistema de leitura de texto. Ambos fazem o curso de Letras na Faculdade de Educação, Ciências e Letras de Iguatu, ligada à Universidade Estadual do Ceará (Uece).

 

Fonte: Diário do Nordeste

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Clima

 

Cotação


Cotações de Moedas fornecidas por Investing.com Brasil.
​​