Realizar busca
- 26/11/2018 - 11:20
Ceará terá holding de ativos

Idealizada pela Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag), vem aí a Holding de Ativos do Governo do Ceará. Mensagem do governador Camilo Santana, acompanhada de projeto de lei criando essa empresa, está sendo encaminhada ao Poder Legislativo, onde a maioria da bancada situacionista garantirá sua aprovação em tempo recorde. A holding será responsável pela administração dos ativos do Estado, imóveis em sua maioria como o do aquário, e pelos recursos que advirão de sua venda, os quais constituirão uma poupança exclusiva para fazer face ao déficit da Previdência, que neste exercício de 2018 chegará bem perto de R$ 2 bilhões, um rombo coberto por recursos do Tesouro estadual. Em modelo reduzido, essa holding funcionará como os fundos soberanos que têm a Noruega, a Suécia, Cingapura e o Catar. Na opinião do secretário da Seplag, engenheiro Maia Júnior, a Holding de Ativos é o primeiro e correto passo que dá o Governo cearense no sentido de reduzir o seu déficit previdenciário. Maia crê que, nos primeiros cinco anos da holding, o déficit se elevará, após o que entrará em queda graças à poupança a ser criada pela venda dos ativos.

Fundação Lemann

Hoje, em Oxford, nas cercanias de Londres – onde, na Universidade homônima, participa de um seminário que junta alguns governadores brasileiros eleitos ou reeleitos – o do Ceará, Camilo Santana, celebra acordo com a Fundação Lemann (criada pelo mais rico empresário do Brasil, Jorge Lemann). O objetivo do acordo é identificar e desenvolver novos líderes que possam vir a ocupar cargos públicos neste Estado. O documento prevê a concessão de bolsas de estudos em universidades estrangeiras aos melhores selecionados. É a sopa no mel do Governo cearense, que na primeira gestão do governador Tasso Jereissati criou o programa de gestores de escolas e, na administração do governador Cid Gomes, criou o de gestores de hospitais. A versão final do acordo foi levada sábado, de Fortaleza a Londres, pelo sociólogo Élcio Batista, chefe do Gabinete do governador Camilo Santana.

No Cauípe

Ficou pronta a infraestrutura (rede de esgoto e de abastecimento de água) da primeira etapa da Cidade Cauípe, empreendimento do empresário Luciano Cavalcante localizado no entorno da lagoa de mesmo nome, na geografia do Município de Caucaia. Esse projeto, segundo a opinião do presidente da Fiec, Beto Studart, que o visitou sábado passado, tem tudo para ser o local de residência dos executivos das empresas nacionais e estrangeiros que já chegaram ou chegarão ao Complexo Portuário e Industrial do Pecém. O empreendimento – que tem área total de 417 hectares – prevê, além de casas e edifícios de apartamento, a instalação de escola, supermercado, farmácia, banco e outros equipamentos próprios de uma cidade.

Velha política

Coisas da velha política que a última eleição começou a sepultar no Brasil: um financiamento de US$ 150 milhões aprovado pelo Banco Mundial para a Prefeitura de Fortaleza – prestes a ser votado pelo Senado – voltou à Casa Civil da Presidência da República. É nesse cantinho do Palácio do Planalto que, por enquanto, a vaidade e os interesses pessoais dos políticos se sobrepõem aos da coletividade. O prefeito Roberto Cláudio culpa o senador Eunício Oliveira pelo atraso na aprovação. A cidade de Fortaleza e sua população estão sendo prejudicados – e o Banco Mundial já sabe disso.

J. Macedo

Luiz Eduardo Morais, executivo com passagens pela Servtec Engenharia e pela espanhola Silat (que produz vergalhões de aço no distrito de Primavera, em Caucaia), será o novo diretor de Novos Negócios do Grupo J. Macedo, que vai investir na área de geração de energias renováveis. Engenheirio civil, com eexperiência na área em que voltará a atuar, Luiz Eduardo conversou, na semana pasada, com o Amarílio Macedo, presidente do Conselho de J. Macedo.

 

Fonte: Diário do Nordeste

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Clima

 

Cotação


Cotações de Moedas fornecidas por Investing.com Brasil.
​​