Realizar busca
- 06/05/2017 - 18:56
Aço Cearense pede recuperação judicial

O processo foi protocolado na última quinta-feira (4) e busca manter a saúde financeira e operacional

Com 37 anos de atividade, o Grupo Aço Cearense informou nessa sexta-feira (5), em carta enviada à imprensa, que protocolou pedido de recuperação judicial na última quinta-feira (4). O comunicado, assinado pelo presidente do Grupo, Vilmar Ferreira, diz que foi “indispensável buscar uma recuperação judicial diferenciada, tendo como premissa a manutenção da saúde financeira e operacional das empresas do Grupo”, destacando o intuito de preservar os empregos de seus 3,8 mil colaboradores. 
Nesse sentido, a recuperação judicial solicitada pelo grupo se difere das tradicionais por não incluir fechamento de unidades ou mudanças drásticas nas operações, por exemplo. 

O presidente, destaca, em nota, que o processo de recuperação tem o intuito de “permitir a continuidade das operações e a sustentabilidade dos seus negócios; propor um plano de pagamento das dívidas que permita honrar todas as categorias inseridas nessa situação; manter a boa relação com os fornecedores com os quais lida diariamente; e viabilizar a retomada do crescimento e de suas ações sociais”. Ferreira atribuiu a situação atual do Grupo à crise, que, segundo ele, “afeta toda a cadeia produtiva nacional. O setor de siderurgia é um dos mais impactados”. 

“Apesar deste quadro, o Grupo Aço Cearense vem apresentando no último ano uma melhoria significativa nos seus números de faturamento e lucratividade. No entanto, mesmo com resultados positivos, nos últimos meses a empresa tem encontrado dificuldades para ajustar sua estrutura de capital dentro desse cenário econômico adverso”, destaca o presidente da companhia no comunicado. 

O diretor financeiro do Grupo Aço Cearense, Tom Arrais, diz que a companhia tentou renegociar suas dívidas com os credores mas “os tempos e movimentos dessas negociações não foram compatíveis com a nossa operação, o que acabou por nos forçar a recorrer ao pedido de recuperação judicial para que nós possamos, sob o abrigo da justiça, fazer essa renegociação com um pouco mais de calma”. 

Resultado e dívida

Sem revelar números, Arrais diz que os resultados no primeiro trimestre deste ano se equiparam aos obtidos antes de 2015, mas eles não foram suficientes “para suprir todas as nossas necessidades de capital”. Questionado sobre o valor da dívida do grupo, disse que “os números que foram submetidos para a recuperação judicial serão sujeitos a pedido de revisão”.

O grupo engloba a Aço Cearense Comercial, Aço Cearense Industrial, a siderúrgica Sinobras, Sinobras Florestal e o Instituto Aço Cearense. 

 Fique por dentro

Justiça age como intermediária  no processo 

O pedido de recuperação judicial é solicitado quando uma empresa não consegue mais pagar suas dívidas, para evitar a falência. A solicitação é feita na Justiça. Dessa forma, um juiz analisa o processo e, após essa etapa, se todos os documentos estiverem completos, concede a autorização para a recuperação. A empresa, então, tem de apresentar um plano à Justiça, visando a saída da crise, que é divulgado aos credores. Caso eles o aprovem, a negociação entre as duas partes é iniciada, e um administrador judicial, nomeado pela Justiça, atua como intermediário. 

Fonte: http://diariodonordeste.verdesmares.com.br/cadernos/negocios/aco-cearense-pede-recuperacao-judicial-1.1749306

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Clima

 

Cotação


Cotações de Moedas fornecidas por Investing.com Brasil.
​​