Realizar busca
- 16/05/2018 - 09:31
10 tecnologias emergentes e como adotá-las em sua empresa

CIOs, CTOs, CMOs, COOs, CFOs e CEOs precisam estar bem informados sobre tecnologias emergentes para decidir como melhor aplicar os recursos no desenvolvimento de seus projetos e negócios.

Tecnologias emergentes vêm e vão. Os negócios agora dependem da tecnologia digital por sua própria existência e as tecnologias emergentes são ameaças e oportunidades disruptivas para todos os modelos e processos, independentemente do segmento.

Atualmente, existem 10 tecnologias emergentes que precisam estar no radar dos executivos C-Level.

1. Business & Robotic Process Automation

A B/RPA é essencial para identificar, descrever e melhorar os processos que executam o negócio. Consiste em um plano de mudança – às vezes bom, às vezes ruim -, mas é preciso conhecer os detalhes de cada processo da empresa e como eles podem ser modificados para ficarem mais eficientes e mais competitivos. O Business Process Management mapeia as principais etapas, enquanto o Robotic Process Automation imita os processos em funções de software simuladas. A modelagem de BPA e RPA é habilitada por ferramentas automatizadas que facilitam a descrição dos passos existentes e simulações de como os processos modificados podem levar a mais eficiência, custos mais baixos e transformação digital.

Piloto
Escolha uma ferramenta B/RPA e comece a trabalhar. Atribua as tarefas de modelagem e simulação a uma pequena equipe de especialistas que irá pilotar a dissecação, modelagem, remodelamento e simulação de processos (todo o modelo de negócios pode esperar). Repita as simulações para validar seu impacto. Identifique as tecnologias emergentes que permitirão o maior impacto e os parâmetros de sua aplicabilidade.

2. Inteligência Artificial (IA)/ Machine Learning

A tecnologia pode encurtar, melhorar e substituir processos e tarefas importantes de rotina, economizar muito dinheiro ao reduzir o número de funcionários e incrementar o rendimento. A tecnologia é importante porque representa métodos, ferramentas e técnicas alternativas para coletar, organizar e analisar dados e informações e gerar conhecimento dedutivo e indutivo. Em outras palavras, a IA pode imitar – e melhorar – seus vendedores, seguradores e corretores mais habilidosos, entre outros profissionais da sua organização. A IA também permite conversação, o que significa que, em breve, será possível aumentar os bots inteligentes que você provavelmente já usa. A AI também pode diagnosticar problemas e sugerir soluções em tempo real em indústrias verticais. Os resultados dos projetos de BPA e RPA vão sugerir exatamente onde a “inteligência” poderá ser aproveitada.

Piloto
A menos que você tenha uma equipe interna de especialistas, encontre um parceiro corporativo de IA. Comece com tarefas de inferência dedutiva relativamente simples de mapear e, em seguida, selecione entre ferramentas prontas para medir o impacto da automação inteligente. Depois desse piloto, se for bem-sucedido, passe para uma representação de conhecimento mais sofisticada e para aplicações de solução de problemas, mesmo aquelas indutivas. Continue até atingir o limite em que os aplicativos “inteligentes” não geram ROI (retorno sobre investimento) significativo. Com base nisso tudo, uma importante iniciativa é lançar um sistema inteligente.

3. Blockchain

O blockchain pode permitir transações confiáveis ​​e verificáveis, sem o custo ou a complexidade dos intermediários transacionais. Segundo o ForbesTechnology Council, “blockchain é um registro público em que as transações entre dois usuários pertencentes à mesma rede são armazenadas de forma segura, verificável e permanente. Os dados relativos às trocas são guardados dentro de blocos criptográficos, conectados de forma hierárquica entre si. Isso cria uma cadeia infinita de blocos de dados – daí o nome blockchain -, que permite rastrear e verificar todas as transações que você já fez. No caso do Bitcoin, o blockchain serve para verificar a troca de criptomoedas entre dois usuários, mas é apenas um dos muitos usos possíveis dessa estrutura tecnológica. Em outros setores, a tecnologia pode certificar a troca de ações, operar como tabelião e “validar” um contrato ou tornar os votos lançados na votação online seguros e impossíveis de alterar”.

Piloto
Também requer parcerias. Se você já está na nuvem com os principais provedores, pilote uma transação de blockchain com uma das plataformas. Conduza simultaneamente uma avaliação interna das transações que podem se beneficiar de uma arquitetura blockchain, mas continue atento às implicações de remover intermediários de suas transações lucrativas.

4. Criptomoeda

Cryptocurrency (criptomoeda) é uma moeda “virtual” (digital) que depende da criptografia para torná-la segura e protegida e não é “emitida” por um banco central ou por um governo que garanta sua autenticidade. Você provavelmente já conhece o Bitcoin e o Ether e também deve saber que a criptomoeda está ganhando tração transacional – é possível comprar casas com Bitcoin. A criptomoeda também pode ser usada para executar transações que, por qualquer motivo, você queira ocultar. Dependendo do negócio em que você está, este tipo de moeda já pode ser opcional. Acompanhe de perto as taxas de aquisição. Se aumentar muito, talvez você precise responder de acordo. Dito isso, é importante rastrear métodos, ferramentas e técnicas que permitam autonomia transacional, como blockchain e cryptocurrency.

Piloto
Observe as tendências do seu setor como uma oportunidade ou restrição para seus pilotos. Se seus concorrentes estão aceitando (ou rejeitando) pagamentos de criptomoeda em troca de produtos ou serviços, teste cuidadosamente o modelo. Siga as tendências. Alguns estão implementando mais rápido do que outros. Acompanhe-os. E não se esqueça de ficar atento à legislação.

5. Internet das Coisas (IoT)

A Internet das Coisas (IoT) prova que há valor em conectar tudo na empresa (e na cadeia de suprimentos) com sensores que podem “conversar” com todo o restante. Os dados, informações e conhecimentos coletados e trocados entre os sensores ativos em tempo real (se necessário) são tão diagnósticos quanto você precisa que eles sejam. A IoT permite todos os tipos de aplicações, como edifícios, cidades e redes elétricas inteligentes, monitoramento e manutenção de motores e geladeiras que pedem automaticamente o que falta de suprimento. A chave é a conectividade bidirecional e as trocas de dados. Se sua empresa tiver oportunidades de conectar pessoas, processos, dispositivos e componentes em tempo real com informações de diagnóstico, a IoT faz todo o sentido.

Piloto
Comece a conectar seus dispositivos, processos, clientes, fabricantes e distribuidores com o benefício de um fornecedor com ampla e profunda experiência com sensores e análise de dados. Comece pequeno, mas selecione domínios escalonáveis. IoT é sobre conectividade e análise, portanto, certifique-se de que seus pilotos testem todos os aspectos de ambos os componentes da internet das coisas.

6. Realidade Virtual/ Aumentada

As tecnologias permitem que você altere a perspectiva e a experiência de seus clientes e de todos aqueles que compõem sua cadeia de valor. Em termos simples, a realidade aumentada facilita a sobreposição de aspectos do mundo digital no mundo real. A realidade virtual, por outro lado, simula um mundo completamente online. As oportunidades de vendas e marketing são extensas, especialmente se você estiver vendendo objetos físicos cujos recursos podem ser aprimorados com realidade aumentada ou representados digitalmente na realidade virtual. Lembre-se também que os consumidores de AR e VR estão demograficamente disponíveis e que as formas de uso acabarão incluindo óculos convencionais, tornando a tecnologia muito mais acessível para os consumidores.

Piloto
Beneficiam, principalmente, empresas que projetam, fabricam e distribuem produtos e serviços que podem ser demonstrados de forma virtual, gráfica e interativa. VR e AR são feitos sob medida para esses tipos de aplicações. Acompanhe os fatores muito de perto. Os headsets caros e volumosos da atualidade serão substituídos por fones de ouvido menores, mais rápidos e mais baratos. Quando isso ocorrer, você, provavelmente, precisará seguir aplicativos adicionais.

7. Análises Aumentadas

Faz com que as análises “regulares” (estudo estatístico avançado focado na descrição, explicação, previsão e prescrição de eventos e condições) sejam evidenciadas pelas ferramentas de inteligência artificial, como aprendizado de máquina, processamento de linguagem natural e modelagem de redes neurais, entre outras ferramentas e técnicas. Este aumento promete acelerar o estudo descritivo, explicativo, preditivo e prescritivo, além do processamento de bases de dados massivas e a produção de dedução e indução até agora não descobertas. A análise aumentada é um potencial de grande importância para todos os esforços de pesquisa em todos os setores verticais. Se você está investindo em análises, descobrirá o valor de aumentar esses investimentos em Inteligência Artificial – e o resultado deste casamento é certeiro.

Piloto
Os pilotos que integram IA com análises são novos, mas necessários. A pergunta operacional é simples: como o raciocínio automatizado, o aprendizado de máquina e o processamento de linguagem natural podem acelerar seus esforços de análise? Arquiteturas, plataformas e aplicativos de análise aumentada estão cada vez mais disponíveis. Não é necessário programar nada disso sozinho. Combine-os com os pilotos da IA.

8. Mobile

Se você entende a demografia da cadeia de valor, você já sabe que a computação móvel é onipresente. E ela continuará a crescer à medida que mais dados, voz e vídeo forem transmitidos em vários dispositivos, embora a maior parte do crescimento seja por meio dos smartphones (e futuras encarnações dos “telefones” de hoje). A adoção explosiva de aplicativos móveis está impulsionando todo esse crescimento. Muitos processos de negócios já existem nos telefones de seus clientes e fornecedores. É seguro dizer que cada vez estas tarefas serão entregues e otimizadas em dispositivos móveis.

Piloto
Não há fim para o número e a natureza dos pilotos de tecnologia móvel que você pode realizar. Isso ocorre porque “todas as coisas digitais” agora são alteradas para “todas as coisas digitais móveis”. Você precisa ficar perto de novos dispositivos móveis, aplicativos, redes, conteúdo e processos de negócios. Mas, o mais importante: você deve acompanhar as tendências comportamentais em direção à mobilidade – que mudam trimestralmente.

9. Wearables

Os wearables, também chamados de tecnologias para vestir, são primas da internet das coisas. Eles aparecem de várias formas, incluindo roupas, joias, sapatos, relógios de pulso e chapéus, para não mencionar todos os Fitbits (pulseiras inteligentes). Alguns estão sob a pele dos seres humanos e animais. Muitos transmitem dados continuamente. As possibilidades são infinitas. Qualquer pessoa, animal de estimação ou objeto pode ser “ativado” com um wearable.

Piloto
Servem para revelar análises SWOT e ROI. Como sugerido acima, os wearables são primos de primeira linha da internet das coisas. A questão é simples: quais dados (a partir de quais sensores) podem ser coletados em produtos e serviços novos ou existentes. É importante trabalhar com parcerias aqui também.

10. Segurança Cibernética e Privacidade

Em primeiro lugar, você não tem escolha a não ser investir continuamente em segurança cibernética. Então, a pergunta “por que isso importa?” é facilmente respondida. A segurança cibernética abrange suas redes, bancos de dados e aplicativos. Violações são caras e podem prejudicar gravemente as marcas de todos os setores, inclusive a sua. A privacidade é uma expectativa, embora os dados demográficos estejam do seu lado. Millennials e zippies estão menos preocupados com a privacidade do que seus pais e avós estavam. Dito isso, você precisará ficar atento ao que acontecerá com o lançamento dos Dados Gerais do Regulamento de Proteção (GDPR) em toda a Europa no final de maio.

Piloto
Neste ponto são necessários pilotos contínuos. As empresas precisam observar o que acontece com o lançamento dos Dados Gerais de Regulamentação da Proteção (GDPR) em toda a Europa no final de maio de 2018, especialmente se sua empresa realiza negócios significativos nessa parte do mundo. Você também deve rastrear a legislação de segurança cibernética e privacidade no seu país. Mas, além disso, todas as empresas precisam ter tecnologias avançadas de segurança virtual de maneira recorrente, além de conduzir processos, métodos, ferramentas e técnicas de conformidade dos funcionários – uma vez que muitas violações e outras desventuras são o resultado de um comportamento inadequado dos mesmos.

 

 

Fonte: Forbes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Clima

 

Cotação


Cotações de Moedas fornecidas por Investing.com Brasil.
​​